10

Sobre o porque de se ter um blog.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

 

Outro dia estava lendo no blog Du Ventu, do meu colega blogueiro Levi Ventura, um desabafo que ele fez. Ele escreveu que não acha que seus textos sejam bons o bastante e que talvez os assuntos que ele aborda lá não sejam de interesse dos leitores. Bom, acho que isso é uma coisa natural entre blogueiros. Se você cria um blog, uma das coisas legais que você quer que aconteça é que as pessoas leiam seus artigos e principalmente comentem neles. Um dos muitos sinônimos de blog para mim é interação. Acho legal essa coisa de trocar informações e experiências de vida. Logicamente que eu dei um incentivo pro rapaz. Não pra agradá-lo com palavras legais, mas porque realmente eu gosto bastante do blog do cara. Caso fosse mentira, não o estaria seguindo, assim como outros que também fazem o mesmo.
Isso me fez pensar sobre os muitos motivos pelos quais uma pessoa cria um blog e o que ela pretende com isso. Eu por exemplo, não me considero inteligente, erudito ou que tenha algo de útil para compartilhar com as pessoas. Criei o blog por dois motivos: 1º é porque como sou uma pessoa muito carente, gosto de chamar a atenção para mim, gosto que as pessoas me notem e que algumas vezes se possível, me elogiem. Também gosto de compartilhar meus problemas pessoais pois sempre achei muito bacana quando alguém se identifica com alguns deles, assim não me sinto tão anormal no mundo. Eu não tenho vergonha de admitir isso, não vejo o porque de ter vergonha.
2º motivo e o mais recente: Sou uma pessoa absurdamente rancorosa e vingativa. Certo ou não, tenho uma dificuldade muito grande em perdoar as pessoas e, moralismo barato à parte, sou da opinião de que se você tiver oportunidade de se vingar, se vingue, acreditem, muitas pessoas merecem. Sei também que muitos partilham da minha opinião, mas com medo do que as pessoas vão achar deles caso se mostrem, usam máscaras.
Gostaria de poder prejudicar seriamente as pessoas das quais tenho ódio ou mágoa. Gostaria de poder fazer-lhes coisas que realmente as deixassem muito mal. Eu sinceramente não ligo para o que é certo ou errado, mas para o que é justo. E justo no momento é que eu seja vingado.
Como não posso prejudicar essas pessoas, uso então o blog para atacá-las. Não, não invento mentiras, apenas coloco o meu ponto de vista da coisa. Sempre há dois pontos de vista sobre tudo. Distorcido ou não, eu tenho o meu e sinto necessidade de expô-lo. Foi para isso que criei o blog. Não para os leitores, mas para mim, para minha própria satisfação pessoal.

Contudo notei na minha ainda curta vida na blogsfera que, blogs pessoais, com poesias do autor, com desabafos, com o dia-a-dia da pessoa realmente não fazem muito sucesso. Não por culpa do autor, creio eu, mas sim por culpa do que o público hoje considera informação relevante.
Por exemplo, 90% dos meus posts no blog são falando sobre eu e meus problemas pessoais. A maioria deles não passam de 5 ou 6 comentários, com exceção de um post já antigo onde tive uma discussão ridícula com a futura ex-namorada de um carinha que conheci. A garota levou o post pro lado pessoal e veio querer me dar lições de moral, as quais eu dispenso de quem quer que seja, muito obrigado. Mas no geral, meus posts tem apenas os comentários dos meus seguidores mais fiéis, os quais agradeço muito mesmo.
Agora, caso eu experimente criar um post sobre os assuntos do momento, principalmente sendo sobre realitys shows, sobre a vida das celebridades, sobre fofocas, aí sim a matéria faz sucesso, como foi o caso do segundo post mais comentado aqui no blog, Seis maneiras de irritar uma CrepúsculoGirl. O post fez sucesso, foi muito visitado e comentado, não porque é engraçado, porque é bem escrito ou tem fotos legais, mas sim, unicamente porque fala da moda do momento: Vampiros e Crepúsculo.
Acho incrível como as pessoas são suscetíveis ao que a moda do momento dita. Se eu falar no blog sobre os eliminados do BBB ou novidades sobre o próximo filme da saga Crepúsculo ou colocar fotos de alguma beldade nua, todo mundo se interessa. Aí sim as pessoas deixam seus comentários. Comentários vazios, mas deixam.


As pessoas adoram saber da vida dos outros sim, mas no caso, se o outro é um famoso ou coisa parecida. Se o Justin Bieber disser no seu Twitter que teve uma diarréia, duas horas depois a mensagem foi repassada e repassada até se tornal viral. Não importa se isso acrescenta alguma coisa ao mundo ou não.
A verdade é que o que atrái as pessoas pra você, tanto na internet quanto fora dela, é se você agir e pensar como elas, isso as agrada muito, pois todo mundo, como bom hipócrita que é, ve as coisas desse jeito. Se você gostar das mesmas coisas que elas gostam, então você é legal, o seu blog é legal, então elas gostam de você.
Em minha opinião eu acho que se o seu blog, como o meu, é de cunho mais pessoal, você deve encará-lo como uma coisa mais sua do que da maioria. Como já disse, não posto o que posto no blog pelos outros. Bom, de certa forma, já que muitos dos meus posts, além de desabafos são puramente provocativos mesmo, mas ainda assim, é mais como um diário pessoal virtual. Lê quem quer ler, gosta quem quer gostar. Seja como for fica aí tudo registrado até o dia em que eu achar que deve ficar. Até lá, vamos postando.

Adicionar aos Favoritos BlogBlogs

Bookmark and Share

10 Divagações

  1. Bah...eu iria escrever oque a MARIA DO CARMO disse...também te admiro demais pela autenticidade, pela sua arte (puxa vc escreve e desenha maravilhosamante) mas esse lado da vingança acho que acaba fazendo realmente mais mal pra ti do que pra aqueles que vc odeia...eu por exemplo teria motivos pra matar um certo padrasto que tenho (tive uma infancia dos hell) mas optei por afastar de min oque me fazia mal...(as lembranças tenebrosas estão comigo mas hoje consigo olhar pra ele e sinceramente sentir pena apesar de tudo oque ele me fez...).

    Então tenha certeza do SEU valor ESQUEÇA o resto!! No que precisar e eu puder ajudar...conte comigo!

    E claro: SEU BLOG é MARA, e é por VC não por outra coisa...

    [ ]sss

    ResponderExcluir
  2. Ricardo (carinha que o Eduardo conheceu)24 de fevereiro de 2010 09:29

    Aproveitando o risco no erro da frase " 'futura ex-' namorada de um carinha que conheci"

    Deixo a frase correta pra corrigir se quiser:
    "'futura esposa, e companheira de todos momentos' de um carinha que conheci"

    Sobre o conteudo do post, faço minhas as palavras das suas amigas que comentaram.
    Viver em função do que te faz mal é não viver a propria vida.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, até que enfim heim? Quem é vivo sempre aparece. Pensei que eu ia ter que escrever mais um 500 ou 600 posts pra conseguir chamar a sua atenção. Mesmo assim as coisas são muito gozadas. Citei teu nome aqui um quintilhão de vezes e você deu de ombros, mas é só fazer uma indireta sobre a sua namoradinha oxigenada que aí sim você dá as caras. Lindo pra caralho, mas totalmente clichê, cafona e facilmente previsível.
    Quanto a frase, acho melhor não corrigir. A gente nunca sabe o dia de amanhã né? Mas ter fé e otimismo é fundamental, ponto pra você. Só não voe alto demais.
    Realmente essa situação ridícula (muito por minha parte mesmo) tá me travando pra caralho, mas é facinho de resolver. É só você me pedir as desculpas que você sabe que me deve e aí essa palhaçada toda fica de lado. Mas cá pra nós, não tá nem passando pela sua cabeça a mais vaga intenção de fazer iso né? Hehehe... Eu sei que não. Por isso, continuamos os dois no mesmo patamar, você achando que vai casar e eu achando que as coisas que eu escrevo aqui afetam você.
    Quer me ver viver a minha vida sossegado? Saiba que é você quem pode proporcionar isso, me dizendo só algumas palavrinhas (pessoalmente, é lógico): "Eu sinto muito mesmo. Eu também errei com você. Passar bem!"

    Simples, prático e rápido. Além de tirar um amargor imenso de mim (isso se o que vier de vc, for sincero, lógico).

    ResponderExcluir
  4. Então Eduardo, que bom que tem essa idéia do seu blog.
    Eu como disse no post, não pretendo ficar famoso na internet por meio do blog, mas ao escrever o post eu confesso que não sabia realmente o meu objetivo ao ter um blog, sentei e raciocinei e hoje posso dizer que sei o que pretendo com o meu blog.

    ResponderExcluir
  5. Também me sinto muito bem quando alguém se identifica com os meus posts.E vc disse uma grande verdade,se falarmos de assunto de modinha,os comentários vão lá no alto.

    ResponderExcluir
  6. Que pena Eduardo, que esteja em crise existencial do blog.
    A que você se refere ao dizer que pretende futuramente dar um novo rumo para o Divagações?

    ResponderExcluir
  7. eh,eu tambem ja me fiz essa pergunta,mas meu blog eh totalmente diferente do seu e do levi.mas gosto do estilo de escrita dos dois.quem sabe eu crie um parecido,pois o meu eh apenas em homenagem a serie que marcou minha infancia.mas nao desista nao edu!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. É...também queria saber que "plano maligno" vc tem para o Divagações...ai ai ai!!!
    Encontrei o blog do LEVI hoje e vi seu comentário...(estou apreensiva).

    Fica bem logo viu?

    [ ]ss

    ResponderExcluir
  9. Nossa Eduardo, verdade verdadeira. Tem muitos blogs de sucesso por aí.. de maquiagem e esmalte!kkkk.. embora eu seja maquiadora profissional, não gosto de coisas repetidas, prefiro 4 comentários e ser original. Gosto de escrever o que me der na telha! Só para desestressar, treinar o cérebro e a escrita. Até já fiz sucesso qdo escrevia o que as pessoas mandavam, mas dava muita dor de cabeça... as pessoas são egocêntricas! Certo dia cansei e deixei apenas o nome do blog, apaguei tudo!! kkk... de certo e de louco, todos temos um pouco. Eu tenho é muito!

    ResponderExcluir
  10. Ah.. não tinha visto esse post ainda, vi no twitter..

    ResponderExcluir

Muito obrigado por comentar. Sendo contra ou a favor de minhas opiniões, as suas são muito interessantes para mim. Tenha certeza!