0

Resenha: ALIEN (Novelização do filme, por Alan Dean Foster)

sábado, 2 de janeiro de 2016

Bom, olha só, quem diria que eu, logo no segundo dia de 2016 conseguiria cumprir uma meta que estipulei nos últimos dias do ano passado: terminar de ler um livro antes de voltar ao trabalho, na próxima terça-feira. Geralmente sou uma lesma pra leitura e demoro de dois a três meses para ler algo com menos de 300 páginas. Mas dessa vez não foi uma tarefa árdua ou cansativa. Muito pelo contrário. Quem me conhece e a meus gostos, vai entender o porque.


ALIEN, do escritor Alan Dean Foster e publicado aqui no Brasil pela Editora Aleph, é uma novelização do filme homônimo de 1979 adaptada para a literatura no mesmo ano do lançamento do longa. Aqui no Brasil o filme, que recebeu o título de "ALIEN, o oitavo passageiro", é um dos maiores clássicos do cinema de terror e ficção científica de todos os tempos e foi dirigido por Ridley Scott. A história se passa dentro da gigantesca nave rebocadora Nostromo, que estava voltando para a Terra após uma missão de meses no espaço profundo, mas que, após captar um misterioso sinal de socorro, interrompe seu curso, ainda bem longe de casa e desperta os seus sete tripulantes, adormecidos em sono criogênico. Após confirmarem a origem do sinal, vindo do árido planetóide nas proximidades, o LV-426, a tripulação é obrigada, por norma da Companhia para a qual trabalham, a alterar seu curso e descer até o pequeno planeta para investigar. Lá, eles encontram uma bizarra e enorme nave abandonada, de aspecto alienígena que parece estar naquele lugar há muito tempo. Mesmo receosos do que possam encontrar, alguns dos tripulantes resolvem entrar para investigar e um acidente acontece. Um deles desperta uma grotesca criatura parasita que se prende em seu rosto, obrigando todos a voltarem para a Nostromo e saírem às pressas de LV-426. Mas o que nenhum deles sabia era que aquele acontecimento era apenas o início de um pesadelo macabro e que levaria para o nave um oitavo passageiro, uma criatura inimaginável e tão mortal como ninguém jamais havia encontrado.

Antes de comprar o livro eu confesso que pensei um pouco se valeria a pena investir nele ou não, afinal, embora livros geralmente sejam melhores do que filmes, ALIEN é um filme que idolatro e já devo ter assistido umas 1500 vezes sem enjoar, então tive medo que a leitura estragasse minha experiência com o filme que tanto amo ou que apenas encontraria nas tudo o que já vi na tela, mas como posso dizer o quanto estou satisfeito, hoje, depois de terminar suas 328 páginas. Embora conte a mesma história, o livro é bem mais completo. Foster por exemplo, diferente do que nos é mostrado na tela, inicia a história explicando um pouco sobre a "profissão do sonhador", usando como referência os sete tripulantes adormecidos da Nostromo e aproveitando para dar a cada personagem uma maior profundidade do que eles tem no filme. A narrativa embora tensa, se desenvolve de forma vagarosa, o que não é ruim se você, assim como eu, gosta de detalhes, ainda mais de uma obra da qual você é fã. A criatura alien propriamente dita, só vai aparecer mesmo lá pela metade do livro, mas como eu já disse, nada que torne a leitura enfadonha ou cansativa, poisos detalhes que o autor descreve enriquecem demais a experiência, tornando a história mais completa e nos revelando muitos detalhes que não são mostrados ou explicados com clareza no filme. É como estar revendo o longa, repleto de cenas inéditas, alteradas e situações inesperadas. 

O relacionamento entre os membros da tripulação é altamente explorado ao longo das páginas e você percebe desavenças e desconfortos entre eles que não são explorados no filme. Todos parecem o tempo todo estressados, cansados e muito mal-humorados, o tempo todo parecem obrigados a suportar a companhia um do outro, no ambiente claustrofóbico e ameaçador da escura Nostromo. Ripley por exemplo, a protagonista, tem um ar arrogante e prepotente, o que podemos ver no filme também, mas que é intensificado nas páginas do livro. Até mesmo o felino Jones ganha destaque, tendo várias cenas mostradas pelo seu ponto de vista, enquanto perambula pela gigantesca espaçonave. 

Embora eu tenha adorado a leitura, não considero o livro de todo perfeito. Na minha opinião, sinto que o autor não soube passar muito bem a tensão e o medo que sentimos ao ver o filme, aquela sensação de perigo à cada corredor percorrido. Alguns ótimos momentos do filme ficaram um pouco sem sal quando lidos, mas nada que torne a coisa ruim, ainda mais se você é fã do filme e já o assistiu, conhece os personagens e a ambientação. Fica fácil imaginar, tudo toma forma facilmente em sua mente enquanto você folheia. Os momentos finais da aventura, tão intensos e frenéticos no filme, parecem ter sido escritos de forma um pouco apressada e sem muitos detalhes, o que destoou um pouco do restante do livro, tão bem detalhado, mas ainda assim considero ALIEN uma leitura fundamental para você que é fã da saga e que curte uma boa trama de ficção/suspense. Se você ainda não viu o filme, não sabe o que está perdendo e com certeza, depois de ler o livro vai ficar curioso para assistir. E se você já assistiu, vai ter uma experiência enriquecedora. O livro ainda conta com notas do autor e entrevistas com a atriz Sigourney Weaver e o diretor Ridley Scott.  


EDUARDO MONTANARI
Virginiano, bauruense, Designer, ilustrador e web designer. Amante de cinema, quadrinhos, boa música e outras nerdices. Sonhando com o namorado ideal.



0 Divagações

Muito obrigado por comentar. Sendo contra ou a favor de minhas opiniões, as suas são muito interessantes para mim. Tenha certeza!